0

O triângulo da sociedade em uma Startup

O triângulo da sociedade em uma StartupCom o momento emergente no mercado para o empreendorismo, a cada dia novas empresas startups são abertas com objetivo de colocar as ideias em prática e conquistar um lugar na sombra. O estágio de maturação de um modelo de negócio é longo e árduo, principalmente quando se trata da concepção de um produto.

Um dos grandes desafios que todo empreendedor passa seja no inicio da empresa ou em qualquer outro momento, é justamente a escolha do sócio ideal que consiga ter um perfeito alinhamento da visão do projeto e consiga somar, fortalecendo, principalmente, partes mais fracas de outro sócio, mantendo um ritmo de cruzeiro no projeto.

Segundo Eike Batista em seu conceito de "Polvixa ", um sócio é como um braço que deve somar e trabalhar firmemente em conjunto com os seus objetivos, porém, ao longo do caminho, pode-se perder por qualquer motivo que seja e deve nascer outro no lugar similar ao que acontece com a lagartixa.
Se para um grande empreendedor e empresário que tem anos de experiência é difícil escolher um sócio, imagina para o empreendedor iniciante que não recursos financeiros, bons contatos e tão pouco experiência e maturidade para avaliar o sócio que mais se enquadra na sua estratégia de negócios.

Uma sociedade é um compromisso, é literalmente como um casamento. Ter uma convivência harmoniosa é fundamental, pois conflitos de ideais pode levar a falência do negócio. Durante o caminho natural, pode acontecer o desligamento de algum sócio ou entrada de novos, conforme for crescendo o negócio ou estratégia de captação de recursos, por exemplo, por meio de investidores que passam a participar do negócio e até gerenciar diretamente, a depender do aporte financeiro.

Se você espera uma regra para escolher o sócio ideal então esqueça, pois não existe essa mágica. Para consolidar os critérios que levo em consideração para escolher um sócio, eu criei o conceito que chamo de "Triângulo da sociedade". A ideia é você avaliar baseado nos lados do triângulo como esse sócio pode ajudar contribuindo para o seu negócio.

Para ter, digamos, um critério mínimo é fundamental completar a base da confiança, pois sem ela é impossível você trazer para dentro da sua empresa uma pessoa que não se encaixa nesse critério. Depois, principalmente em Startup é o comprometimento com as entregas. Com poucos recursos de uma empresa iniciante você terá no início uma dependência grande desse item, uma vez que na maioria das vezes não terá outros colaboradores e o trabalho do sócio é uma força fundamental para impulsionar o projeto sendo que muitos entram na sociedade com a força do seu trabalho.

O terceiro item do triângulo seguindo essa sequência de avaliação é a qualidade do trabalho entregue. Todos sabemos que qualidade é importante e evitar retrabalho é fundamental, porém em um estágio zero de um projeto você pode iniciar com essa deficiência e ir amadurecendo a medida que o mesmo for se engajando no projeto. É uma característica que pode ser remodelada e melhorada dia a dia diferente de confiança e comprometimento que depende da atitude presente em cada um.

Para ter um ecossistema mais consistente é necessário encontrar um sócio que atenda aos três itens citados: Confiança, Comprometimento, Qualidade cuja soma daremos o nome de integração, que será validada pela capacidade do mesmo de se comunicar, compartilhar e multiplicar a visão da empresa com outros sócios e futuros funcionários.

Como eu falei, não existe uma regra para escolher um sócio. Meu objetivo nesse momento foi mostrar a você itens importantes a se avaliar para decidir com quem deseja trabalhar. Em uma empresa inicial é uma das decisões mais estratégicas que você deve tomar, pois nem sempre o colega que você toma uma Coca-Cola no fim de semana ou o mais engraçado da turma é a pessoa ideal para comprar junto com você a ideia e vestir a camisa do projeto em todos os momentos.

[],
Ramon Durães
Consultoria especializado em desenvolvimento de software, pessoas e empreendedor