Avanço do Cloud no Brasil

cloud-nuvemA adoção de estratégias baseadas em serviços de nuvem é um caminho inevitável para as empresas. Ao ligar um dispositivo que esteja utilizando a internet ele naturalmente está usando algum serviço de nuvem mesmo que você não queria admitir. O conceito Cloud computing já se tornou realidade a muitos anos independente de queremos ou não.

É muito comum a falta de conhecimento levar a discursões sem fundamento quando se falar de estratégia de datacenter. Ter um computador embaixo da mesa ou na sala ao lado com a portinha de vidro escrita CPD não te garante segurança dos dados contra invasão física, invasão presencial, online e principalmente continuidade do negócio em caso de desastre.

Somente os grandes players mundiais conseguem fazer os vultuosos investimentos para garantir uma estrutura de datacenter global que atenda aos mais importantes requisitos de segurança técnica e uma sólida estratégia de forma a garantir a melhor experiência em serviços de nuvem para o seu negócio. A última moda é falar que é “Cloud”. Procura entender quem é o fornecedor da estratégia de nuvem, quais garantias envolvidas. Já encontrei cenários onde o Cloud era abrir um chamado para espetar uma nova VM. É lamentável como as pessoas distorcem os conceitos com o objetivo de enganar os clientes.

Dentre os maiores players a nossa aposta foi a Microsoft em sua solução chamada de Azure que oferece datacenters espalhados pelo mundo e inclusive no Brasil, processos internos e externos de auditoria, auto serviço na contratação, garantia de SLA, garantia de rígidos processo de segurança, garantia de privacidade, redundância geográfica e modelos de PaaS (Platform as a servisse)  e IaaS (Infrastructure as a Service). Veja abaixo alguns dos vários certificados de segurança encontrados na plataforma do Azure.

– Auditoria e certificação ISO/IEC 27001:2005
– Atestados SOC 1 e SOC 2 SSAE 16/ISAE 3402
– Matriz de Controles de Nuvem da Cloud Security Alliance
– Federal Risk and Authorization Management Program
– Nível 1 dos Padrões de Segurança de Dados (DSS) do Setor de Cartão de Pagamentos (PCI)
– Credenciamento OFICIAL de G-Cloud do Reino Unido
– HIPAA Business Associate Agreement (BAA)
– Conformidade GxP para ciências biológicas
– Family Educational Rights and Privacy Act (FERPA)
– FIPS (Federal Information Processing Standard )

Uma parte do meu dia a dia é conversar com clientes estudando formatos de promoção do modelo de negócio atual para serviços rodando no Cloud e em conversas iniciais em muito comum as pessoas questionarem algo relacionado a nuvem. Eu gosto muito de ouvir e entender a origem da dor para então ajudar esclarecendo a dúvida colocada. Em quase 99% das vezes informações incompletas e/ou a plena falta de conhecimento provada o medo da nuvem.

É com muita tranquilidade que posso afirmar que é mais seguro hoje usar um datacenter do Azure que deixar hospedado do seu lado. O termo “Disaster recovery (DR)” está cada dia mais comum associado ao termo Business continuity (BC). É inclusive importante não confundir DR com discursão de relacionamento e BC com banco central.

Ao planejar uma estratégia de nuvem é fundamental pensar nos eu modelo de DR e BC de forma que você já tenha um mapeamento das possibilidades de utilização. O arquiteto de nuvem tem um papel fundamental, pois ele será o responsável por planejar e construir toda a fundação e princípios que você vai adotar nos serviços de nuvem. Isso impacta diretamente na contratação de uma máquina virtual, um serviço de armazenamento e até num plano de balanceamento de carga e auto escalonamento.

Ao ler esse artigo a minha expectativa é que você tenha arrepios não mais pelo medo da nuvem sim pela quantidade imensa de possibilidades que você pode abrir para o seu negócio montando uma estrutura que pode crescer conforme a demanda e diminuir preservando o seu investimento.

Tem muita gente fazendo conta a errada de nuvem somando servidores atuais e comparando com servidores de nuvem. Não vejo ninguém adicionando custo de energia, manutenção, depreciação do equipamento, risco para o negócio e principalmente limite de capacidade, pois uma estrutura on-premise não escala e trava o seu negócio.

Para saber mais:
Centro de Confiabilidade do Microsoft Azure
Nuvem é mais segura que soluções on premises, afirma Gartner

Está com dúvidas sobre Cloud e Azure? Então faça contato
agora mesmo.

[],
Ramon Durães
Chief Technology Officer (CTO) na 2PC
MVP, Visual Studio ALM
PSM, CSM, PSD, LKU